Volúpia...



Ela sonhava com ele quase todas as noites e com o amor que faziam. 
foto: Andreas Heumann

Com os olhos semicerrados a ainda na cama, acariciou o seu corpo e sentiu como se fossem as mãos dele a deslizar suavemente pela sua pele. 
Passou a mão pelas coxas, por cima das cuecas semitransparentes passando pelo sexo e nádegas. Foi deslizando a mão pela sua pele macia. Pelas ancas, cintura e subiu até aos seios, sentindo já os mamilos salientes e rijos. 
Estava a sentir-se maravilhosamente e mal lhe apetecia sair da cama.
Levantou-se da cama onde o outro já se levantara e dirigiu-se até à janela. Subiu a persiana… Ele estaria mais a Sul por detrás dos prédios. Pensou que… O ar que respiravam era o mesmo e o sol que os iluminava o mesmo. 

Resolveu, por fim, escrever-lhe o quanto se sentia apaixonada.

9 de outubro de 2016
[A.Braga]

2 comentários:

  1. Belo... intenso...
    deliciosamente excitante!
    Um doce tesão!...

    Beijo-te
    AL

    ResponderEliminar