ºº Alucinada loucura ºº


Foto: Lucija

Mesmo que perdida no meio de tanta papelada…

Foto: Markus Lindner

_____Bocas ansiosas
Se vão sorver..._____Corpos agitados
Se vão unir...
_________Alucinada loucura
Como só nós
Sabemos compor…
___________Logo…

____________Mais logo!



14/05/08
Chinezzinha

18 comentários:

  1. Aluc inado fiquei eu ao ler o poema. Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. Gabriel,
    Espero que já não esteja alucinado.Rs
    :))
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Olá,

    Já tinha vindo aqui, mas estava "adormecido" este blog. Acho que lhe reacendeu a chama - Parabéns! Gostei do "tom".

    beijo

    ResponderEliminar
  4. Hum... finalmente uma novidade (e quando as há, aqui... são alucinantes)! :)) Bjs

    ResponderEliminar
  5. Há sensações que requebram a Alucinada Loucura das minhas letras… Adorei!

    ResponderEliminar
  6. Almor,
    Reconheço que tenho os meus blogs ao abandono mas será por falta de tempo e alguma pitada de preguiça da minha parte.
    Mas quando me der na gana vou enviar para aqui muitos textos, uns já velhinhos e outros novos.
    :)
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  7. Natacha,
    Fiquei contente com as tuas palavras.
    Vamos lá ver quando me dá a vontade de aqui postar. Vontade e tempo, claro está.:)))
    Bjinho

    ResponderEliminar
  8. Além de me deliciar com todas as sensações que as Letras me transmitiram, aproveito para desejar a todos os viventes que se aprazem neste espaço de cultivo um Natal repleto daqueles sorrisos que dispensam palavras e que exultam a saúde interior que há em nós!

    ResponderEliminar
  9. Um excelente Natal para ti, António.
    :))
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  10. Refugio-me da sujidade diária com deliciosas e puras palavras.

    __

    O contraste.

    http://ponto-travessao-perdao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  11. http://ponto-travessao-perdao.blogspot.com/

    Actualizações, espero visita. Desculpa pela publicidade.

    ResponderEliminar
  12. Obrigada pelas palavras, Câmara.:)
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. :) Obrigada Isabel!
    Ainda bem!
    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Ah, raios. Odeio fazer publicidade a mim mesmo. Resolvi deixar hoje algo construtivo. Que tal outra situação?

    "As mãos frias agarram-se à minha pele e acontece o que eu não queria. Como é possível que alguém com tal dote seja capaz de transfigurar o mais altíssono dos gestos? O devanear da dança que encanta e induz qualquer ser humano ao mais afrodisíaco dos lugares, transmuta-se num conjunto de tremuras, devido à adivinhação corporal dos remorsos que irão ser, com certeza, sentidos. As minhas pernas encontram-se pisadas pelas mãos que, com crueldade me apertam no pescoço para que a dor não tenha qualquer saída. E, contudo, esta tamanha agressividade não possui a total culpa. O agressor está mal, mas não é mau, pois dentro de si instala-se a confusão de ideias que nunca lhe ordenaram. É verdade, também nunca se deu ao trabalho de as ordenar, mas não terá sido culpa da influência social dantes sentida? Que criança ordena ideias sem influência?"

    Espero uma visita de quem também sabe sentir.

    http://ponto-travessao-perdao.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  15. A influência da sociedade é sem dúvida marcante.
    Obrigada pelo texto deixado.
    Beijos

    ResponderEliminar